728x90_zanox_Oferta da Semana2

Tendinite

Sinais, sintomas e diagnóstico da Tendinite!

A tendinite é uma síndrome de excesso de uso em resposta a inflamação local devido a microtraumas repetidos que podem ocorrer devido a desequilíbrios musculares ou fadiga, alterações nos exercícios ou nas rotinas funcionais, erros de treinamento ou uma combinação de vários desses fatores.

A síndrome ocorre pois uma demanda contínua é colocada no tecido sem que haja um tempo adequado para cicatrização, de forma que a dor e a inflamação continuem.

Os tendões são estruturas fibrosas cuja função é a transmissão da força produzida pelos elementos contráteis e não contráteis, dentro da unidade músculo-tendão. A força é transmitida através do tecido tendão para agir sobre um segmentos do osso e produzir o torque (momento de força) sob o segmento em relação ao eixo articular.

Eles são revestidos por uma capa por onde flui o líquido sinovial (o mesma que encontramos no interior das articulações), que serve para lubrificar as superfícies de fricção onde os tendões fazem contato. A tendinite é descrita como uma inflamação dos tendões e vem acompanhada simultaneamente de inflamação da “capa” que protege os tendões (tenossinovite) podendo ocorrer em qualquer faixa de idade ou sexo. Geralmente a inflamação da “capa” é mais intensa que a dos tendões propriamente.

Etilologia
Esse tipo de inflamação é originário de traumatismos (fricção) repetidos (esforço repetitivo), esforço exacerbado onde pode haver inclusive, ruptura dos tendões ou até ser parte da manifestação de outras doenças como artrite reumatóide, esclerose sistêmica, gota etc. Outras vezes, pode ser devido a um processo infeccioso que acaba por envolver também os tendões e sua “capa”.

Sinais, sintomas e diagnóstico
Tudo isso se traduz em dor para o paciente, principalmente quando ele tenta movimentar o tendão afetado, seja das mãos ou dos pés. Há também inchaço ficando muitas vezes os tendões visíveis sob a pele em forma de cordões avermelhados e dolorosos. Postura antálgica para se locomover (tendinite de joelho, aquiles ou pubis), espessamento do tendão, apalpação (confirma o local do alargamento e elucida o local da dor), flexibilidade passiva da unidade músculotendinosa mantida, contração ativa, contração isométrica sem sobrecarga difere a tendinite de uma lesão capsuloligamentar, também são sinais da tendinite.

O tratamento para essas doenças inclui a consulta a um médico, que poderá aconselhar repouso de tendão e uso de antinflamatórios orais ou injetáveis.


Mecanismos prováveis para o desencadeamento da tendinite
Padrão específico de movimento é realizado “repetitivamente”:
● Esses esportes podem envolver uma sobrecarga repetitiva, compressão e abrasão (desgaste) do tendão. A abrasão é comum no tendão do supraespinhoso no espaço subacromial.

A freqüência dos esforços não permitem a reparação do tecido do tendão, e pré dispõem o microtrauma acumulativo.
● Exemplo: Arremessos, saque de tênis, natação

Banner Oficial Farma

banner tribulus on

Esforço único com magnitude elevada:
● Pode induzir a uma patologia inicial que é mantida por outras atividades que normalmente não podem concluir (evoluir) a patologia do tendão.
● Exemplo: é o corredor com “passos largos”. Isso resulta em uma contração muscular excêntrica (ecc) dos ísquios tibiais (Its), que produz uma tensão suficiente para alterar a substância do tendão, ou a interface do tendão normal, e a corrida normal ou passos de caminhada, pode produzir forças suficientes na magnitude, e /ou freqüência para conservar uma lesão crônica de tendinite.

Andar ou correr sobre um plano irregular:
● Isso induz a repetitivas forças anormais de magnitude elevadas, nas estruturas do tendão.
Exemplo: superfície com inclinação medial-lateral. A força de reação no terreno, desencadeará momentos anormais de eversão, para o pé que está sobre o lado alto do terreno. As estruturas ósseas laterais do pé e tornozelo serão submetidas à excessiva compressão.

Os tecidos moles mediais também sofrerão excessivos stresses tênseis. Os tendões tais como o Aquiles, tibial posterior e flexor longo do hálux, serão submetidos ao stress tênsil anormal, como movimento articular excessivo produz tensão passiva e como os músculos envolvidos produzem tensão ativa, assim como eles suportam a contração excêntrica para controlar este movimento. Os tendões dos músculos tibial posterior e flexor longo do hálux, podem também ser submetidos à compressão anormal e fricção, como eles caminham em seus respectivos mecanismos de polias ósseas.

Utilização de equipamento no local de trabalho ou no esporte, que promove repetitivos stress nas estruturas do tendão.
● O formato do equipamento resulta em magnitude anormal de força.
● Exemplo: tamanho ou peso da raquete de tênis em pessoas que predispõem à tendinite.

Tendinites mais comuns
● Supraespinhoso
● Aquiles
● Síndrome de Fricção da Banda iliotibial
● Epicondilite lateral
● Tibial posterior
● Tendinite penoneal
● Tendinite do púbis (adutor)
● Tendinite do ligamento patelar (joelho do saltador)
● Tendinite iliopsoas

Veja aqui os principais Suplementos para Emagrecimento e Ganho de Massa Muscular

Fonte: Saude em Movimento

Sobre o autor

Planeta do Corpo

Os artigos com a assinatura "Planeta do Corpo" são escritos pelos nossos editores, leitores ou profissionais que disponibilizam seus conteúdos afim de contribuir com o Blog. O Planeta do Corpo é um portal informativo 100% gratuito. Todos os nossos artigos estão relacionados a suplementos alimentares, nutrição esportiva, musculação e saúde. Gostaria de colaborar com o conteúdo do site ou anunciar aqui? Entre em contato através do e-mail contato@planetadocorpo.com

lipo 6 black banner suplementos mais baratos